Nando Viana 970×250
Ilha do Governador

União da Ilha se solidariza com a atriz Cacau Protazio após ato de racismo

Foto: Instagram / @cacauprotasiooficial

A União da Ilha do Governador demonstrou solidariedade à atriz Cacau Protásio após o episódio de racismo sofrido por ela nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, em um quartel do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. A escola divulgou uma mensagem de apoio em suas redes sociais.

A tricolor fez questão de demonstrar carinho com Cacau Protásio, que anualmente desfila na União da Ilha do Governador. “Sobre o episódio de discriminação racial e falta de respeito que se tornou público no dia de hoje, saiba que estamos com você e te amamos muito @cacauprotasiooficial.”

Nando Viana 970×250

Cacau Protásio gravou cenas de seu filme Juntos e enrolados, em um quartel do Rio de Janeiro. Ela chegou a publicar fotos fardadas nas redes sociais agradecendo aos bombeiros. No entanto, o colunista Léo Dias divulgou áudios em que alguns membros da corporação agridem a atriz.

Em uma das gravações, uma pessoa, que seria bombeiro, diz: “Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz.”

Ainda no áudio revelado a pessoa mostra-se também homofóbico: “Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável.”

A atriz publicou um vídeo no Instagram falando sobre o ocorrido. “Não entendi porque tanto ódio. Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Não mereço ser agredida assim, como nenhuma pessoa.”

Corpo de Bombeiros
O Corpo de Bombeiros destacou que os atos divulgados não representam a corporação, que se solidariza com Cacau Protásio e que já abriu procedimento interno para identificar o (s) militar (es) e apurar a conduta.

Fonte: Revista Carnaval

Mostrar mais

Artigos relacionados