Temporal deixa destruição e morte na Ilha do Governador

Vários deslizamentos ocorreram, assim como dezenas de árvores tombaram e inúmeros pontos de alagamentos surgiram.

O forte temporal que atingiu todo o Estado do Rio de Janeiro entre a segunda e a terça-feira desta semana, causou morte na Estrada Rio Jequiá. Parte da encosta cedeu por volta das 2 horas da manhã desta terça-feira, dia 6, soterrando Maria da Penha Silva de Jesus, de 59 anos. Maria chegou a ser levada por bombeiros ao Hospital Paulino Werneck, mas não resistiu.

Vários deslizamentos ocorreram em toda a Ilha do Governador, assim como dezenas de árvores tombaram e inúmeros pontos de alagamentos surgiram. A rua Tenente Cleto Campelo, no Cacuia, chegou a ser interditada por causa da queda de parte da encosta próxima ao Paulino Werneck.

Um prédio de quatro andares na Rua Pracinha Cesário Aguiar, no alto das Pitangueiras, ameaça desabar em direção à rua Formosa do Zumbi, na altura do 17º Batalhão da Polícia Militar. Os moradores já abandoram o local. Outro prédio, na rua Juraci Camargo, no Jardim Guanabara, também está com a estrutura comprometida.

O bairro do Tauá foi um dos que mais sofreu com os alagamentos. Praticamente todo o bairro ficou “debaixo d’água” com destaque para as ruas Capanema, Hilarião da Rocha, Eutiquo Soledad, Érico Coelho e a Av. Paranapuã na altura do Supermercado Mundial. Quem se dirigia ao Bancários e à Freguesia teve que esperar a água baixar.