Portuguesa vence o Vasco após 54 anos e segue ambiciosa na Taça Rio

Desde 1964 a Lusa da Ilha do Governador não vencia o Vasco

Foto: Williany Brito

Comandada pelo técnico João Carlos Ângelo, a Portuguesa provou novamente, hoje diante da equipe do Vasco, que o time está ambicioso no Campeonato Carioca. Pelo placar de 1 a 0, a equipe da Ilha do Governador derrotou o Cruzmaltino, neste domingo (25), no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita. A última vez que a Lusa tinha vencido o Vasco no Estadual foi 1964.

Depois de jogar melhor contra Botafogo e Fluminense no primeiro turno, mas ficar no empate, a Portuguesa enfim venceu. Há 33 anos a Lusa não vence um clube de maior investimento no torneio. A última vitória tinha sido contra o Flamengo, em 1985, no Luso-Brasileiro. O placar terminou em 1 a 0.

Supera Super Banner

O JOGO

Determinada em todos os jogos realizados até momento, a Portuguesa não agiu diferente diante do Vasco. Entrou focada e marcando forte. A Lusa pressionou o Cruzmaltino nos minutos iniciais e foi com zagueiro Marcão, logo aos oito minutos, que a Lusa chegou a primeira vez. Em cruzamento para área do meio-campo Maicon Assis, Marcão testou e a bola triscou o pé da trave do goleiro Gabriel Félix, do Vasco.

Após os 15 minutos iniciais, o Vasco tornou o jogo mais equilibrado e logo aos 18 obrigou o goleiro Milton Raphael a fazer defesa em chute de Giovanni Augusto. Mas a resposta da Lusa veio e veio em formato de gol. Aos 29 minutos, em um escanteio cobrado, Maicon Assis jogou de chapa para o alto e naquele momento parecia futevôlei. Da cabeça de Marcão, para a do lateral-direito Adriano e para o atacante Tiago Amaral, de costas, escorar com a cabeça para o fundo do gol. O primeiro e único gol da Lusa que definiu a partida: 1 a 0.

Foto: Williany Brito

A Portuguesa mesmo com a vantagem não se intimidou e continuou em cima. Em contra-ataque, o atacante Sassá serviu o meio-campo Romarinho que pela esquerda, finalizou com força tirando tinta da trave do Vasco. No último minuto do primeiro tempo quase o Vasco igualou o marcador com Rildo (Marcão tirou em cima da linha) e em bicicleta de Riascos.

SEGUNDO TEMPO

Com a vantagem no marcador, a Lusa voltou para o segundo tempo com a missão de esperar um pouco mais o Vasco e explorar os contra-ataques em velocidade. O Vasco ensaiou pressão de todas as formas, mas sempre parava no bom sistema defensivo da Lusa e principalmente nas boas atuações dos zagueiros Marcão e Luan. A equipe cruzmaltina exagerou nas bolas aéreas que eram prontamente tiradas pela zaga lusitana.

A Portuguesa, que defendia muito bem, levava perigo no contra-ataque, principalmente com Romarinho. Tanto que a melhor chance do segundo tempo foi da Lusa. Em jogada pela direita, o volante Jonnatan serviu Adriano, que cruzou na medida para Tiago Amaral. O atacante chutou com força, mas a bola acabou parando na defesa do goleiro do Vasco.No fim, a Portuguesa conseguiu segurar o resultado e a festa foi lusitana. A Lusa voltava a ganhar um grande depois de 33 anos e o Vasco, 53.

Agora, o foco será o desafio contra o Bangu, no próximo sábado (03/03), às 16h, no Estádio de Moça Bonita.

Curiosidade: Portuguesa x Vasco

Em 23 de julho de 1964, o Vasco foi derrotado pela Portuguesa-RJ por 2 a 1 pelo Campeonato Carioca. Dias antes do jogo, perguntado sobre o duelo entre os clubes de origem portuguesa, o técnico da Lusa, Gentil Cardoso, teria respondido: “Vai dar zebra! A Portuguesa vai ganhar!”. A alusão era ao jogo do bicho, no qual o animal listrado não figura entre as 25 opções. “Dar zebra”, portanto, seria algo inesperado, impossível de acontecer. Como a Portuguesa acabou ganhando o jogo, a expressão “deu zebra” se popularizou. Hoje, a mascote da Lusa – é uma zebra

Supera Super Banner