Estádio de Remo se prepara para receber centro de treinamento

Objetivo é formar atletas com potencial para competir em nível internacional

Paralimpíada: primeiro dia da competição de remo no Estádio da Lagoa. Atletas Josiane Lima e Michel Pessanha - Foto: Clarice Castro
Paralimpíada: primeiro dia da competição de remo no Estádio da Lagoa. Atletas Josiane Lima e Michel Pessanha – Foto: Clarice Castro

O Estádio de Remo da Lagoa está em fase de preparação para receber, nas próximas semanas, o primeiro centro de treinamento de formação e de alta performance voltado para a modalidade no Brasil. Legado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quando abrigou as competições de remo e canoagem, o espaço espera receber os primeiros equipamentos para início da montagem do CT em duas semanas. O objetivo do centro é identificar e formar atletas com potencial para competir em nível internacional, além de oferecer suporte técnico e infraestrutura adequada aos clubes e instituições esportivas para treinamentos.

– Estamos com a perspectiva de trazer este centro de treinamento para uma instalação que recebeu os Jogos Rio 2016, o que o torna ainda mais expressivo para o cenário nacional. O Governo do Estado tem feito sua parte ao deixar a chama viva do remo para as próximas gerações. Tudo depende da base e, é por isso que buscamos investir na iniciação e formação esportiva para que não somente o remo, mas também a canoagem e outros esportes aquáticos sigam com bons resultados – afirmou o secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Thiago Pampolha.

A iniciativa pioneira do centro de treinamento foi da Suderj e da Federação de Remo do Rio (Frerj), que tem parceria com o laboratório de Fisiologia, da Universidade Federal Fluminense (UFF). A universidade ficará responsável por toda a parte médica e fisioterápica do espaço. De acordo com o projeto, o centro de treinamento contará com sala de musculação com aparelhagem moderna, material esportivo para realização de competições, salas para avaliação médica e de fisioterapia, dormitórios, copa/cozinha, além de remoergômetros, simuladores e analisador de lactato.

– O Estádio de Remo retomou as atividades logo após as competições dos Jogos Rio 2016 e, atualmente, está em pleno funcionamento. Um exemplo disto é a garagem de barcos, que está ocupada pelos clubes – ressaltou o diretor de patrimônio da Frerj, Celso de Oliveira Batista.

Espaço revitalizado para as Olimpíadas

Para se adaptar aos padrões olímpicos e paralímpicos, o Estádio de Remo da Lagoa foi revitalizado. Realizadas pelo Estado, as reformas tiveram três pontos. A torre de chegada é de vidro e tem quatro andares – os dois primeiros são de legado permanente e voltados para torneios de pequeno porte; e os dois últimos podem receber estruturas temporárias para competições maiores. Nove garagens de barco foram adaptadas aos conceitos de acessibilidade. Para garantir a perfeita fixação das raias de competição e cronometragem, foram instalados no fundo da lagoa 98 suportes metálicos, três metros abaixo do espelho d’água.