Empresária insulana faz sucesso com a feira ‘O Fuxico’

Eliane Valentim promoveu a primeira feira em 2015 voltada ao público infantil e hoje conta com mais de 80 expositores em cada evento

A produtora cultural Eliane Valentim, lançou a primeira feira infantil ‘O Fuxico’ em dezembro de 2015, na Ilha do Governador. A partir daí o evento não parou de crescer, já tendo mais de dez edições realizadas em diversos locais do Rio de Janeiro.

HIG Super Banner

Formada em pedagogia, a empresária de 40 anos e mãe de três filhos conta que começou a feira “com a ideia de reunir mães que abriram mão de trabalhar para criarem seus filhos e por diversos motivos, agora precisavam voltar a trabalhar e não encontravam mais vagas no mercado de trabalho formal, por preconceito, pela carga horária e etc”.

– Muitas destas mulheres começaram a produzir de forma independente e encontraram neste trabalho uma forma de complementar a renda da família ou até mesmo sustentar sozinha sua casa – conta Eliana.

Foto: Reprodução do Facebook / O Fuxico

Segundo a empresária as duas primeiras edições foram exclusivamente infantis. Por isso o nome ‘O Fuxico’.

– Achamos um nome simpático e alegre. Criança vive fuxicando as coisas. E também remete para um trabalho artesanal chamado fuxico. A ideia da feira, desde o início, foi priorizar o trabalho artesanal.

A Feira atualmente é realizada em Ipanema na praça Nossa Senhora da Paz onde conta com o apoio da AMAI (Associação de Moradores do Bairro e da Associação Comercial de Ipanema). Hoje conta com cerca de 80 expositores, divididos entre moda, decoração, arte e gastronomia. Na gastronomia o destaque é para a vasta opção de gastronomia regional, internacional e cervejas artesanais.

Foto: Reprodução do Facebook / O Fuxico

– A ideia principal é ocupar os espaços públicos de forma responsável, agregando valor ao local. Acredito que uma praça cheia de crianças e de pessoas é uma praça viva e mais segura – comenta.

Eliana conta que ‘O Fuxico’ vai além de ser uma feira de compra e venda. Um dos compromissos é incentivar a economia criativa, o produtor independente, aquele que participa de todos os processos de criação dos seus produtos.

– Acredito que toda esta energia, todo este amor aplicado em cada peça, em cada prato…gera uma vibração muito bacana que acaba refletindo no evento. A ideia é que a atmosfera do evento seja leve, alegre. Que as pessoas sintam-se felizes ao entrar na praça. Que se sintam seguras. Infelizmente hoje em dia existe um medo de sair de casa…mas o carioca gosta de atividades ao ar livre. Carioca valoriza a gastronomia de rua, o trabalho artesanal.

Eliane conta que tem recebidos vários convites para levar a feira O Fuxico para outras Cidades e Estados. Este ano a meta é iniciar um curso de capacitação gratuito para mulheres que precisam voltar ao mercado de trabalho, mas não sabem como.

A próxima edição da feira será nos dias 5 e 6 de maio, em Ipanema.