Prosper 970×250
Ilha do Governador

Degase inaugura sala de leitura, na Ilha

O Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc), e Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa (Secec), inaugurou nesta quarta-feira, mais três espaços dedicados à leitura em unidades socioeducativas de internação da Ilha do Governador.

Corridinha 2019 970×250

Com as inaugurações das salas de leitura do Centro de Socioeducação Professor Antonio Carlos Gomes da Costa (Cense PACGC), Escola João Luiz Alves (EJLA) e Centro de Socioeducação da Ilha do Governador (Cense Ilha), o Departamento dá continuidade ao projeto pioneiro “Salas de Leitura”, que agora atingirá o número de sete salas em funcionamento no Degase e irá atender a todas as unidades de internação e semiliberdade ao longo do ano.
As “Salas de Leitura” são ambientes educativos e de convivência que buscam revelar a importância da leitura aos socioeducandos e também foram abraçadas pelo programa #juntospelaleitura, da Secec.

De acordo com o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, o objetivo é inaugurar uma sala de leitura em cada uma das 23 unidades do Degase no Estado do Rio de Janeiro.

“Vamos implementar as salas de leitura em todas as unidades. A implantação desses espaços envolve diversos profissionais da Seeduc e do Degase, assim como gestores, diretores das unidades socioeducativas e escolares, equipe técnica, pedagogos, bibliotecárias, professores e socioeducadores. Eles serão os responsáveis por desenvolver atividades de estímulo à leitura como cine literário, oficinas de escrita, mediação de leitura, reforço escolar e biblioterapia”, explica o secretário.

As salas contam com televisão, almofadas, local com mesas e cadeiras, acervo diversificado, além de ambiente com jogos para interação dos adolescentes.
Segundo o diretor do Degase, Márcio de Almeida Rocha, a intenção é transformar a leitura e o livro como elementos de mudança na vida dos adolescentes.
“Nosso objetivo é promover, planejar, organizar ações que favoreçam aos adolescentes o acesso à leitura, que levem a esses adolescentes a reflexão e ao conhecimento para ressignificar suas histórias”, finaliza.

Mostrar mais

Artigos relacionados